6 Replies to “A Boa Sorte”

  1. Através de uma envolvente e espetacular fábula de épocas medievais, os autores (Alex Rovira Celma e Fernando Trias de Bes) percorrem (com sucesso) sobre a diferença entre ter sorte e obter a Boa Sorte.
    As definições são diferentes e fica evidenciado como o sucesso depende de trabalho, esforço e persistência. Uma obra prima que deveria ser repassada a todos. Com uma fluidez na leitura e abordagem simples do tema, recomendo que ganhem 1 ou 2 horas com a leitura do livro.
    Agradeço ao professor e amigo José Jaime Veloso por apresentar-me a Boa Sorte e como prometido o livro passou para as mãos de mais uma sortuda.

  2. O livro possui uma leitura leve, e trás a importante lição de que, somos os responsáveis pela nossa própria sorte, ou “Boa Sorte“, como faz questão de diferenciar, e de que ela não depende de ninguém além de nós mesmos. Gostei bastante do livro, pois é o tipo e leitura que nos incentiva a fazer as coisas de forma diferentes e a nos dedicarmos mais na preparação do terreno, para futuramente colhermos nossa Boa Sorte.

  3. O livro nos conta uma história, que traz uma lição de vida.
    Dois amigos de infância se encontram depois de muitos anos sem se ver, e contam um para o outro os caminhos que suas vidas tomaram,
    um deles teve muita sorte em sua vida, porém como o próprio livro nos conta, a sorte de nada adianta se não for bem usada. Já o outro, cultivou a “boa sorte” e com isso ele foi bem sucedido em sua vida.
    O livro explica que a diferença entre a “sorte” e a “boa sorte”, é que a sorte acontece ao acaso, já a boa sorte deve ser cultivada, porém uma vez que ela for alcançada a pessoa a terá pelo resto de sua vida.
    Portanto, não adianta ficarmos de braços cruzados esperando que coisas boas aconteçam, é preciso agir para alcançar a boa sorte.

    O livro foi repassado para Michelle Natália

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *